• Psicóloga Ana Luisa Perin

Sobre a Análise

Em um processo analítico o sujeito repete na sua relação com o profissional a forma como se relaciona com as demais pessoas em sua vida, porém, neste contexto com a escuta do analista, na qual não cabem julgamentos, é possível que o paciente possa perceber e tomar consciência da forma como tem se posicionado diante do outro.

Essa percepção sobre si pode se dar ao longo do tratamento quando o próprio paciente escuta o que ele está falando ao analista, quando é questionado, quando são feitas pontuações pelo profissional, entre outros. Esse processo de se conhecer pode agregar muito ao sujeito, na medida em que isso pode lhe fornecer recursos para perceber posicionamentos que ele mesmo não estava notando em si, bem como para poder identificar situações que lhe trazem angústia ou não e encontrar formas de lidar com estas.

É importante ressaltar que este é um trabalho de mão dupla, ou seja, é preciso que o sujeito esteja disposto a se implicar nesse processo também. Assim, o processo analítico não é uma oferta de respostas prontas ao paciente sobre si, mas sim um convite para que este se perceba, se interrogue, se responsabilize por sua história e conduza sua vida com base em seu desejo.


Ana Luisa Perin

Psicóloga CRP 08/30624

Psicologia Clínica - Psicanálise - Processo Analítico

Posts recentes

Ver tudo